Fungicidas: Entenda a importância de utilizar

23 de julho de 2019

Tempo de leitura 2 minutos

Os fungicidas são pesticidas que tem como função inibir a ação de fungos que atacam as plantas, e possuem diferentes mecanismos de ação. O uso dessas substâncias químicas se dá desde a Antiguidade, em que os gregos aplicavam enxofre para eliminar pestes em suas plantações. 

 

A aplicação inicial preventiva de fungicidas, desde o estágio vegetativo da cultura, é fundamental para controlar doenças que afetam as plantações. 

 

Aplicação 0

 

A chamada aplicação 0 (zero) ocorre antes das primeiras aplicações de fungicidas realizadas no estágio reprodutivo da soja, que devem ser feitas até o 45º dia ou até o pré-fechamento da cultura. Esse primeiro controle é desconsiderado por grande parte agricultores, mas é essencial para garantir a proteção efetiva e o controle de doenças e pragas que podem danificar as plantações. 

 

Manejo consciente de fungicidas

 

Dentre algumas dicas para o manejo consciente de fungicidas estão o uso de uma tecnologia eficiente de aplicação, explorar a tolerância genética das variedades, buscar o escape plantando na hora certa e privilegiar a variedade de ciclos mais curtos. 

 

Protetores e Erradicantes

 

Os fungicidas estão divididos em duas categorias principais: Protetores e Erradicantes. 

 

Os protetores surtem efeito apenas quando são aplicados antes da introdução do fungo nos tecidos da planta. Eles agem formando uma barreira tóxica que bloqueia a penetração de fungos por meio da inibição da germinação de esporos, diminuindo as chances de desenvolver uma doença.

 

Já os erradicantes, quando aplicados na folhagem, devem estar dissolvidos em água para que entrem em contato com as células do hospedeiro. São considerados mais eficazes que os protetores pois têm o poder de eliminação dos fungos, além de terem ação imunizante e serem menos tóxicos às plantas e ao meio ambiente.

 

É importante ressaltar que o agricultor deve fazer a aplicação dos fungicidas nos momentos certos, pois sua frequente utilização pode levar à seleção de fungos resistentes que não podem ser combatidos pela substância usada.

Compartilhar

Facebook
Twitter
E-mail